O Azul Klein na Decoração

Postado por Dione 13/02/2019 0 Comentários Dia-a-dia,

Criado por Yves Klein, um dos mais importantes artistas europeus pós Segunda Grande Guerra, este tom de azul intenso foi patenteado como International Klein Blue em 1960 quando o Azul Klein se tornou notório. Usado tanto na moda quanto na decoração de interiores, essa cor, na definição de seu criador, é uma janela para a liberdade.

 

Caixas Azul Klein A Boxmania

 

O CRIADOR

 

É impossível conhecer verdadeiramente a cor sem saber um pouco sobre seu criador. Nascido em Nice, França, e filho de pintores, Yves Klein ficou famoso pelo radicalismo e pioneirismo nas artes performáticas. Era um aficcionado pela monocromia, o vazio e o imaterial. Fundou o movimento conhecido como Nouveau Réalisme e foi classificado como um precursor do minimalismo e da Pop Art. Klein faleceu muito jovem, aos 34 anos, vítima de um infarto do miocárdio.

 

Klein se dedicou a diversos tipos de arte além da pintura, como a literatura, fotografia e mesmo a música, influenciado pela tradição zen, denominada por ele de le vide (o vazio) e priorizando a realidade sobre a representação.

 

Na fotografia destaca-se a obra Saut dans le Vide (Salto no vazio) e, na música, a Sinfonia Monótona (uma única nota tocada por 9 músicos durante 20 minutos e seguida por 20 minutos de silêncio), composta por ele para acompanhar uma de suas obras imateriais: o lançamento de 1001 balões de cor Azul Klein no céu de Paris. Em seguida, modelos nuas, recobertas pela tinta espessa azul, feitas pincéis vivos, imprimiram seus corpos em telas brancas, na série que ele chamou de Antropometria.

 

Klein era um provocador e, com influência da religião, filosofia e estética japonesa, procurava desmaterializar o objeto da arte. Um salto no vazio.

 

Yves Klein e o Azul Klein

Acima e à esquerda, Yves Klein. Á esquerda, a fotografia intitulada Le Saut dans le Vide. Á direita e abaixo uma das telas da série Antropometria.

 

A CRIAÇÃO

 

Nesse espírito da busca pelo imaterial, Klein dizia que "em um primeiro momento há o nada, e então há um profundo nada e, depois disso, uma profundidade azul". E, nessa busca, materializou esse conceito em uma cor.

 

Guardando semelhanças com o lápis-lazuli e o azul royal, o Azul Klein é feito a partir de pigmentos do azul ultramarino em resina sintética fosca, o que preserva as qualidades originais e intensidade do pigmento. Klein comparou a cor criada a uma janela aberta para a liberdade e idealizou uma cor que evocasse a imensidão de sua própria visão utópica de mundo e a imaterialidade, tema recorrente em suas criações.
 

Escultura e Mesa Azul Klein
Escultura exposta no Museu de Arte Moderna e Arte Contemporânea (MAMAC) na França e e mesa icônica Yves Klein
 

“Para Klein, a cor pura ofereceu uma maneira de usar a arte não apenas como forma de pintar um quadro, mas como uma maneira de criar uma experiência espiritual, quase alquímica, além do tempo, aproximando-se do imaterial”, explica Kerry Brougher, curador da retrospectiva Yves Klein: With the Void, Full Powers, no Museu Hirshhorn em Washington.

 

Para Gabriel Riera, diretor de comunicações do Instituto Smithsonian, o Azul Klein é de tamanha intensidade que "quase salta para fora da pintura".

 

Exibição Yves Klein: With the Void, Full Powers

Peças da exibição Yves Klein: With the Void, Full Powers

 

A cor foi associada pelo artista a valores imateriais e indo além do que pudesse ser visto ou tocado. Todo o conceito por trás de sua criação, inspirou vários outros artistas no cinema, TV e na música. Atravessou as fronteiras da arte e chegou à moda e à decoração.

 

 

O AZUL KLEIN DA DECORAÇÃO

 

Na decoração de interiores assim como na moda, o azul é atemporal e universal e este tom desafia de forma positiva as qualidades de calma e serenidade geralmente associadas ao azul. O tom criado por Klein se tornou icônico, replicado por artistas e designers de todo o mundo, incluindo Yves Saint Laurent.

 

No Brasil, quando a primeira onda deste azul inesquecível chegou, foi apelidado de Azul Bic. Seja usado como um contraponto às cores neutras ou acompanhando outra cor igualmente vibrante, o azul Klein se destaca na decoração, possibilitando a criação de pontos focais, que podem partir desde simples objetos e móveis a uma parede inteira.

 

Criando pontos focais com azul Klein

Criando pontos focais com o Azul Klein

Roberto Migotto com sua casa de praia em Azul Klein

No Brasil, o arquiteto Roberto Migotto usou o tom extensivamente em sua Casa de Praia para a Casacor combinando com tons de amarelo vivo e muito verde.

 

Com o retorno das cores bold à decoração, o Azul Klein volta a ser um dos tons cotados para brilhar, conferindo um ar moderno ao decor e atualizando o espaço. 

 

Se apaixonou pela cor mas não tem certeza se pintar uma parede inteira é o ideal para o seu espaço? Experimente organizar o closet, o living ou o escritório com nossas caixas Azul Klein, nas versões Prátika e Stok Paper. Além de organizar, você cria pontos de interesse na decoração, que transmitem essa sensação de energia e liberdade.

 

Caixas Azul Klein A Boxmania - Closet

Caixas Azul Klein A Boxmania - Arara e Cadeira Eiffel

 

 

Leave a Comment